Somos uma comunidade de pessoas que compartilham do desejo de viver a mensagem de Jesus de forma a incluir, e não excluir; curar, e não ferir; pacificar, e não guerrear; encorajar, e não desanimar; libertar, e não aprisionar; incentivar a liberdade e criatividade de pensamento.

Estamos ligados a FUICM (Fraternidade Universal das Igrejas da Comunidade Metropolitana)  Região Ibero-america coordenada pelo Reverendo Bispo Hector Gutierrez.

Levitico 18:22

O “Código Sacerdotal” ou “Código da Santidade” de Levítico: “Não te deitarás com um homem como se fosse mulher. É uma abominação” (Lv 18,22 e Lv 20,13).

Estas eram leis destinadas a manter o povo hebreu puro e separado de outros povos, sobretudo dos que adoravam ídolos sacrificando crianças e com a “prostituição sagrada”, tanto masculina como a feminina, nos cultos à fertilidade. Um hebreu que praticasse essas coisas que os babilônios e cananeus praticavam, era “abominável”. Mas entre estas coisas “abomináveis”, incluía-se, por exemplo, semear dois tipos de sementes no mesmo canteiro, comer carne mal passada, ou camarão, fazer sexo estando a mulher menstruada, entre outros. O adultério e a falta de respeito para com os pais igualmente deveria ser punido com a morte. Hoje alguém consideraria “abominação” comer carne mal passada ou carne de porco? Porque se quer aplicar estas normas literalmente apenas para os homossexuais, não será por preconceito, por falta de amor? Ou os que citam a Bíblia, a conhecem de verdade?

 A questão do Levítico era religiosa, e não ética ou moral, isto é, não se cogitava que o sexo em si era bom ou mau, mas o uso que se fazia dele, neste caso, afastando-se de Deus e indo atrás de outros deuses para os quais se sacrificavam crianças... É interessante notar que neste mesmo Código, está escrito: “Não oprimirás o teu próximo, nem o salário de teu empregado ficará contigo até o outro dia” (Lv 19,13) que poucos e poucas citam e lembram... A própria palavra “abominável”, no hebraico: toevah, seria mais bem traduzida, e o é, por tradutores mais sérios e capacitados, por “impuro”, ou “falta de limpeza”, o que tem um sentido totalmente diferente.

São Paulo escreveu: “Não deveis nada a ninguém, a não ser o amor mútuo, pois quem ama o outro, cumpriu a Lei” (Rm 13,8).

"Então Pedro tomou a palavra e disse: "Em verdade, reconheço que Deus não faz acepção de pessoas, mas em toda nação lhe é agradável o que o temer e fizer o que é justo" Atos 10.34,35

Quanto a terceira perspectiva hoje já se sabe que ser gay ou ser lésbica não é uma opção. Este é mais um mito: as pessoas são gays por opção! Optar significa escolher em ser ou não ser gay. Assim como o heterossexual não escolhe em ser ou não ser heterossexual, o mesmo acontece com o homossexual. Existem vários fatores que determinam esta orientação, que é independe da vontade das pessoas, por isto não é uma opção. Muitos falam, erradamente, sobre “opção sexual”. Não existe opção, fato de quem “opta” por algo. Nem tampouco condição. O que existe em termos de classificação é a orientação sexual, onde o desejo sexual e afetivo está direcionado para um objeto externo (no caso de homossexuais, mesmo sexo e no de heterossexuais, sexo oposto).

Devido todas as dificuldades e implicações em se assumir homossexual se torna incabível dizer que as pessoas escolhem ser homossexuais. E se realmente tudo não passa-se de uma escolha seria fácil voltar a trás nessa escolha assumindo outros posicionamentos

Topo